domingo, 22 de setembro de 2013

Sou uma formiga com alma de cigarra

Não me apetecia nada passar a manhã a preparar os almoços dos miúdos. Mas o dever é assim, não é quando apetece...
Fiz 24 crepes que congelei em baterias de 4. Depois basta recheea-los com queijo e fiambre, bechamel com pescada cozida, ou pastel de bacalhau. Esta última versão é fantástica. Aproveitei uns pasteis de bacalhau que tinha congelados - homemade - claro... e sem fritar descongelei-os. Com esse creme recheei os crepes e levei ao forno bem forte.
Um crepe, ou será melhor dizer uma galette*, e uma salada e está feito o almoço portátil. Com sorte ainda levam um crepe de chocolate... e fruta!
* Na Bretanha chamam galette ao crepe salgado e crepe ao doce. A massa é idêntica, os recheios é que fazem a diferença.Mas os doces ficam bem com uma farinha mais branca e um pouco de açúcar.

 
A receita (é a receita básica das galettes bretãs, o segredo está na farinha. Tenho dificuldade em encontrar a farinha de trigo escuro mas descobri uma farinha de trigo fabulosa de moagem artesanal, no Moinho do Papel, em Leiria - esta farinha merece um post, haja tempo...)

250 gr de farinha de trigo do Moinho do Papel
3 ovos
500ml de leite
1 colher de sopa de óleo
2 colheres de sopa de cerveja branca
sal q.b
Misturar a farinha com o sal e juntar os ovos batidos. Juntar o leite, o óleo e a cerveja, misturar sem bater. Deixar repousar 1 hora. 
Para fazer 24 crepes dobrei a receita mas não os fiz tão finos como gostaria.

Depois desta empreitada fui aproveitar o Verão. A cigarra não perdoa. E que Verão está este Outono a ser...











  



Sem comentários:

Enviar um comentário