domingo, 1 de setembro de 2013

7 dias no paraíso

E assim correram os dias, entre a apanha das amoras e os mergulhos na barragem.
Aqui as horas dão para tanto que os dias parecem semanas.
Aqui comemos o que as hortas dão,  e comemos tão bem. 
Aqui apanhámos mais de 3 kg de amoras com os quais fiz quase 6 kg de doce. Foram umas férias muito produtivas.

A enfrentar o "monstro" silva.


Depois da farta colheita  há que fazer o doce. A receita é do livro Receitas Escolhidas de Lurdes Modesto (receita lá em baixo). Estou muito orgulhosa da minha ideia: tirei foto à receita para poder seguir no ipad. A preguiça é mestra de engenho...

Eram tantas que tiveram de macerar no alguidar.

 o melhor da festa: três tachos para rapar.


Depois do "duro trabalho" relaxávamos nestas maravilhosas "praias verdes". Umas atapetadas de hortelã, outras rodeadas de pinheiros.
 
Sabemos que estamos numa terra boa quando nos agradecem com um bem-haja.

O doce de amora fiz assim:
1 kg de amoras
1kg de açúcar
1 limão
( fiz tudo multiplicado por 3)
Deixa-se a amora misturada com o açúcar macerar durante a noite.
Leva-se esta mistura ao lume com uma casca de limão.
Quando começar  a ferver junta-se o sumo de um limão.
Deixa-se ferver 7 minutos e retira-se do lume para, com a ajuda de um passador, escorrer as amoras.
Vai de novo ao lume e quando recomeçar  a ferver juntam-se as amoras e deixa-se ferver mais 5 minutos. Repete-se a operação de escorrer as amoras. Vai de novo ao lume e quando recomeçar  a ferver juntam-se então as amoras e deixa-se ferver 3 minutos.
Guarda-se em frascos previamente fervidos.
Vale bem o trabalho que dá.


Sem comentários:

Enviar um comentário