domingo, 13 de outubro de 2013

A cozinha é uma tipografia

Não resisto a uma inutilidade especialmente se servir para fazer bolachas.
Tenho literalmente dezenas de cortadores, de Natal; de Páscoa; letras; números; animais; tudo o que vejo tenho de comprar. Depois, não faço bolachas de corte. Dão tanto trabalho a estender...
O marcador de letras foi mais uma para a colecção.
Resolvi fazer umas bolachas salgadas com inspiração italiana e carimba-las com um "itália", tão original...
As doces "brasil" são de coco. O pestinha sabichão diz que não sabem a "brasil" sabem antes a "inglaterra". — inglaterra? , perguntei eu.  - Sim! Daah (odeio quando fazem isto) - " inglaterra do chá". É isto: as bolachas são boas para o chá. Brasil é caipirinha. assunto encerrado.

A massa das bolachas é a massa básica das bolachas de corte ou massa quebrada. A esta base basta juntar os ingredientes que vão bem com o nome, ou mais fácil, escolher o nome de acordo com os ingredientes.


As "itália"
250 gr de farinha de trigo misturada com um pouco de farinha de centeio
125 gr de manteiga
1 ovo
2 colheres de sopa de queijo seco( usei da ilha)
1 tomate seco
alecrim qb
sal q.b
No processador moi a farinha com o queijo, o tomate e o alecrim.
Juntei a manteiga em cubos e o ovo.
Deixei repousar 30 minutos.
Cortei, carimbei e assei em forno a 180º
O tomate e o queijo são salgados por isso tive muito cuidado com o sal.



As "brasil"
250 gr de farinha
125 gr de açúcar amarelo
125gr de manteiga sem sal
1 ovo
4 colheres de sopa de coco ralado
sementes de papoila qb

O processo é igual. Junto os ingredientes secos e trituro-os um pouco no processador. Junto a manteiga e o ovo. Corto, carimbo e asso.

Sem comentários:

Enviar um comentário