terça-feira, 15 de setembro de 2009

1º dia

Um dia um paradalito entrou pela janela. Devia ser o seu primeiro voo e a coisa não lhe correu bem. Arrastava uma asa, não parecia ter grande futuro. Meti-o numa caixinha, com um pouco de água e migalhas de pão. Escondi a cena toda dos filhotes e esperei que o pai, entendido em coisas de pássaros, desse solução ao caso. Quando o especialista chegou, viu a cena e disse peremptório - Não tem hipótese é um pássaro de bico comprido, come insectos, não o vamos conseguir alimentar!. Mandei-o dar um fim digno à criatura, que no caso seria deixa-lo no terraço, à mercê da sua condição de quase -base da cadeia alimentar, e esperar que algum gato fizesse aquilo que nós não tínhamos tido a coragem de fazer. Assim foi, o passarito lá foi levado para o terraço. Mas não foi comido por um gato. Não - acertou a asa e voou, meio aos SS é verdade, mas saiu dali e foi na direcção das árvores.
Podem ser assim os primeiros voos, para os pássaros a coisa deve ser mesmo dramática, porque facilmente podem ser os últimos.
Hoje foi uma espécie de 1º voo da benjamim, também ficou meia desasada, mas tenho a certeza que logo, ou amanhã ou depois já está nas árvores.

Sem comentários:

Enviar um comentário